Posts

,

Infográficos para Segurança do Trabalho

Prevenir é a única opção.

27/07 – Dia Nacional de Prevenção a Acidentes de Trabalho.

 

Estudos mostram que todos os anos ocorrem diversos acidentes e muitos deles são ocasionados por falta de conhecimento.

As medidas de Segurança do Trabalho devem ser aplicadas em todos os setores da empresa, de forma a disseminar a cultura de saúde e segurança desde o chão da fábrica. É necessário que sejam realizadas ações com o objetivo de conscientização.

 

>>> TEMOS 3 INFOGRÁFICOS DE PRESENTE PARA VOCÊ!

 

Para ajudar a propagar essa informações estamos presenteando nossos clientes e parceiros com 3 cartazes para fixar no quadro de avisos da sua empresa que vão ajudar a conscientizar seus colaboradores.

É só baixar, eles estão em PDF alta resolução, você pode imprimir e colocar no quadro de avisos ou entregar ao colaboradores:

 

Para aqueles colaboradores que ficam em dúvida sobre a necessidade do Equipamento de Proteção Individual:

Infográfico Devo Usar EPI

Alguns equipamentos são insubstituíveis.

Infográfico Use Luvas

Use óculos de proteção

 

Para mais informações, treinamentos, cursos e exames entre em contato.

Telefones: (21) 2221-7793 / 2507-4882

As principais siglas usadas na Segurança do Trabalho

TST, PRP, PRA, EPI, EPC… Você tem dúvidas quando se depara com essas siglas?

São tantas que é difícil compreender e memorizar todas elas se não usar no dia a dia.

Listamos algumas das mais utilizados para te ajudar:

 

AET – Análise Ergonômica do Trabalho.

A Análise Ergonômica do Trabalho (AET), tem como objetivo avaliar e analisar as relações existentes entre demandas de doenças, acidentes e produtividade com as condições de trabalho.

Saiba mais sobre a AET aqui nesse artigo: http://playcipa.com.br/2017/03/24/analise-ergonomica-do-trabalho-aet-e-laudo-ergonomico/

 

ASO – Atestado de Saúde Ocupacional.

É o documento médico que avalia a capacidade de trabalho do colaborador. Emitido pelo médico especializado em medicina do trabalho.  

http://playcipa.com.br/servicos/

 

CID – Classificação Internacional das Doenças.

Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde, sendo obrigatório em laudos médicos e atestados de saúde.

 

ABPA – Associação Brasileira de Prevenção de Acidentes.

É uma entidade que atua na área da segurança, meio ambiente e saúde ocupacional SMS, na forma de congressos, concursos, seminários, palestras, feiras e cursos. Oferece, ainda, apoio técnico a empresas e demais entidades (governamentais ou não). Fonte: Wikipédia

 

CIPA – Comissão Interna de Prevenção de Acidentes

Um grupo formado por representantes, tantos dos colaboradores quanto dos empregadores, para identificar os riscos referentes aos processos do trabalho e elaborar mapas de risco, com o objetivos de diminuir ou eliminá-los.

Fazemos a implementação, manutenção e cursos, saiba mais sobre este serviço: http://playcipa.com.br/servicos/

 

CAT – Comunicação de Acidente de Trabalho.

Um documento emitido para reconhecer tanto um acidente de trabalho ou de trajeto bem como uma doença ocupacional.

 

CLT – Consolidação das Leis do Trabalho.

Aprovada pelo Decreto-lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943 e sancionada por Getúlio Vargas, o presidente do Brasil na época, regula as relações individuais e coletivas do trabalho no país. É a mais importante legislação relativa a fatores trabalhistas e processuais de trabalho no Brasil.

 

CA – Certificado de Aprovação.

Documento Expedido pelo Ministério do Trabalho e Emprego para garantir a qualidade e funcionalidade de um determinado EPI –  Equipamento de Proteção Individual. Todo EPI só pode ser comercializado com a indicação do CA.

 

EPI – Equipamento de Proteção Individual.

O Equipamento de Proteção Individual – EPI é todo dispositivo ou produto, de uso individual utilizado pelo trabalhador, destinado a proteção contra riscos capazes de ameaçar a sua segurança e a sua saúde. (Fonte: http://www.guiatrabalhista.com.br/tematicas/epi.htm)

Nesse artigo falamos sobre a importancia deles: http://playcipa.com.br/2017/01/26/equipamentos-de-protecao-individual-epi/

 

EPC – Equipamento de Proteção Coletivo

São dispositivos utilizados no ambiente de trabalho com o objetivo de proteger os trabalhadores dos riscos inerentes aos processos, tais como o enclausuramento acústico de fontes de ruído, a ventilação dos locais de trabalho, a proteção de partes móveis de máquinas e equipamentos, a sinalização de segurança, dentre outros. (Fonte: http://www.guiatrabalhista.com.br/tematicas/epi.htm)

 

FAP – Fator Acidentário Previdenciário.

Em vigência desde 2010,  é um sistema bonus x malus, no qual a alíquota de contribuição de um, dois ou três por cento, destinada ao financiamento do benefício de aposentadoria especial ou daqueles concedidos em razão do grau de incidência de incapacidade laborativa decorrente dos riscos ambientais do trabalho, poderá ser reduzida, em até cinqüenta por cento, ou aumentada, em até cem por cento.

Leia mais sobre como a segurança dos seus colaboradores é benéfica para a empresa:

http://playcipa.com.br/2016/11/25/fator-acidentario-de-prevencao/

 

MTE – Ministério do Trabalho e Emprego.

Criado em 1930 é o órgão responsável pela regulamentação e fiscalização de todos os aspectos referentes às relações de trabalho no Brasil.

 

NR – Norma Regulamentadora.

Elaboradas pelo ministério do trabalho com o objetivo de promover a saúde e segurança do trabalho nas empresas. Também ensinam a cumprir e detalhar a CLT

 

PPP – Perfil Profissiográfico Previdenciário.

Documento em formato de formulário, que contém o resumo de todas as informações relativas à fiscalização do gerenciamento de riscos e à existência de agentes nocivos no ambiente de trabalho.

Podemos te ajudar: http://playcipa.com.br/servicos/

 

PPRA – Programa de Prevenção de Riscos Ambientais.

é um conjunto de ações visando à preservação da saúde e da integridade dos trabalhadores, através da antecipação, reconhecimento, avaliação e consequente controle da ocorrência de riscos ambientais existentes ou que venham a existir no ambiente de trabalho, tendo em consideração a proteção do meio ambiente e dos recursos naturais. (Fonte: Wikipedia)

Nós fazemos a Implantação e Desenvolvimento do PPRA  http://playcipa.com.br/servicos/

 

PCMAT – Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção.

É um programa que dita uma série de medidas de segurança a serem adotadas durante o desenvolvimento da obra na Indústria da Construção visando antecipar os riscos inerentes.  

PCMSO – Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional.

Tem caráter de prevenção e diagnóstico precoce a eventuais danos a saúde ocupacional dos empregados. Considerando o indivíduo e a coletividade de trabalhadores.

Nós fazemos a Implantação, Coordenação e Desenvolvimento do PCMSO

http://playcipa.com.br/servicos/

 

SIPAT – Semana Interna de Prevenção de Acidentes.

A SIPAT é uma iniciativa muito importante para a segurança dos funcionários e para o bom funcionamento do ambiente de trabalho, porque através das ações realizadas, que incluem por exemplo palestras, vídeos, e aulas é possível conscientizar a todos a prevenir acidentes e doenças ocupacionais.

Já falamos sobre ele neste artigo: http://playcipa.com.br/2016/12/14/sipat-semana-de-prevencao-de-acidentes-de-trabalho/

 

SESMT – Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho

É constituído por profissionais da área da saúde, como Médico do Trabalho, Engenheiro de Segurança do Trabalho,Enfermeiro do Trabalho, Técnico em Segurança do Trabalho, Auxiliar de Enfermagem do Trabalho, têm como função principal proteger a integridade física dos trabalhadores dentro das empresas, de alertar a equipe contra novas doenças e ajudar a tomar precauções contra acidentes de pequeno porte, que podem atrapalhar o andamento da empresa e prejudicar os funcionários.

 

OS – Ordem de Serviço.

Documento usado na comunicação interna da empresa, apontando os materiais, maquinário e mão de obra requeridas para realização de um determinado trabalho.

 

Caso tenha mais dúvidas entre em contato:

Ligue: (21) 2221-7793 / 2507-4882

Exames toxicológicos para motoristas: segurança nas estradas e para sua empresa

Para que serve o exame toxicológico?

O Brasil tem uma das taxas mais altas de acidentes fatais no trânsito. A cada ano perdem a vida mais de 45.000 pessoas, vítimas de acidentes. Estima-se que as drogas – isoladas ou em combinação com o álcool –  sejam a causa dos acidentes em mais de 40% dos casos.

Com o objetivo de aumentar a segurança nas estradas e diminuir número de acidentes causados por motoristas sob efeitos de substâncias ilícitas, o Conatran instituiu a obrigatoriedade da realização de exames toxicológicos para habilitação e renovação nas categorias C, D e E. A Lei 13.103, 02 de março 2015, conhecida também como Lei do Caminhoneiro.

Como é feito o exame toxicológico?

O exame identifica o uso de substâncias ilícitas no organismo do motorista, a fim de aumentar a segurança e diminuir os riscos nas estradas

O exame é indolor e à prova de contaminações, é coletado amostras de cabelo ou unha e analisado para substâncias como: Maconha e derivados; Cocaína e derivados; Opiáceos incluindo codeína; Morfina; Heroína: “ecstasy” (MDMA e MDA); Anfetamina; Metanfetamina; entre outras.

O exame é capaz de detectar substâncias usadas em um período de até três meses. É obrigatória a apresentação do exame no momento da renovação da carteira de motorista, a cada cinco anos. Ele tem validade de 60 dias, a contar da data que foi colhida a amostra.

Principais vantagens para sua empresa realizar o exame toxicológico dos colaboradores motoristas:

·         Redução de acidentes de trajeto com o motorista ou com terceiros.

·         Redução dos custos de contratação e treinamento de motoristas (rotatividade).

·         Redução de custos indenizatórios, trabalhistas e previdenciários.

·         Menor quantidade de horas inativas dos veículos, diminuindo o risco do lucro cessante.

·         Redução de abstenções e dos custos de afastamento dos funcionários

·         Segurança no transporte de passageiros e cargas de clientes

·         Menor risco de danos à imagem da sua empresa.

·         Ser reconhecido como empresa que se preocupa com a segurança

A Play Cipa realiza estes exames com um ótimo custo benefício para sua empresa. Auxiliamos em todas as etapas do processo.

Entre em contato e agende uma visita para conversarmos:  (21) 3708-0988 / 2221-7793 / 2507-4882

Equipamentos de Proteção Individual – EPI

EPI – Equipamentos de Proteção Individual – são dispositivos ou produtos de extrema importância usados para a garantir a proteção, segurança e bem-estar do trabalhador.

Dentro das empresas existem muitos mitos sobre o seu uso e obrigações, devido a falta de informações, o que colabora para os acidentes de trabalho.

A seguir, vamos ajudar a esclarecer algumas delas:

 

  1. Responsabilidades:

São partilhadas entre Empregador e Colaborador:

Ao empregador cabe a compra e troca do equipamento, quando necessário. Também é de responsabilidade do empregador orientar, treinar e fiscalizar o colaborador sobre o uso dos mesmos além do descarte correto de acordo com as leis ambientais.

O colaborador por sua vez, deve usá-los em todos os momentos em que foi informado no treinamento, cuidar do EPI e informar imediatamente caso haja a necessidade de troca ou reparo.

 

  1. Classificação

São classificados como Parciais ou Integrais de acordo com a área do corpo que protegem, os principais são:

  • Proteção da cabeça: Capacete
  • Proteção auditiva: Protetores auriculares e tampões
  • Proteção respiratória: Máscaras;
  • Proteção ocular e facial: Óculos, viseiras e máscaras
  • Proteção de mãos e braços: Luvas
  • Proteção de pés e pernas Sapatos, coturnos, botas, tênis.
  • Proteção contra quedas: Cinto de segurança, sistema anti-queda, arnês, cinturão, mosquetão.
  • Proteção do tronco: Avental

 

  1. Custos

Os custos dos EPIs são sempre muito baixos em comparação a todos os outros custos, não chegam a 0,05% dos custos de uma obra, por exemplo. Além de essenciais para a segurança do colaborador, os EPIs podem proporcionar a redução de custos para a empresa já que um colaborador protegido de acordo com as especificações, o risco de um Acidente de Trabalho é reduzido ao mínimo ou até mesmo eliminado.

 

Nós podemos te ajudar.

Após a identificação, quantificação, análise de exposição e análise geral é feita a especificação do EPI mais adequado. Essa escolha só pode ser feita por profissionais qualificados.

 

Se você tem dúvidas quanto ao uso, adaptação, identificação e treinamento para EPIs a Play Cipa possui experiência em ações na área de segurança e pode auxiliar você.

Entre os nossos serviços, temos:

  • Implantação e Desenvolvimento do PPRA – Programa de Prevenção de Riscos Ambientais
  • Avaliação Ambiental: Ruído, Poeira, Temperatura, Produtos Químicos em geral
  • Brigada de Incêndio
  • Identificação de Perigos e Riscos
  • Mapas de Riscos
  • Estudos Ergonômicos
  • Laudos de Insalubridade e Periculosidade
  • SIPAT -Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho
  • Cursos, palestras e treinamentos

Entre em contato e marque uma reunião para que possamos te ajudar.

Lembre-se: EPI no armário não protege funcionário!!!

 

Faça o download desse fluxograma, imprima e coloque no quadro de avisos de empresa, para o colaboradores testarem se precisam do EPI.

 

infografico.epi

infografico.epi

 

 

Acidentes de Trajeto – Tire suas dúvidas

O que é um acidente de trajeto?

Para deixar claro do que se trata, o artigo 21, IV, d,  da Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991 definiu como o acidente sofrido pelo segurado fora do local e horário de trabalho “no percurso da residência para o local de trabalho ou deste para aquela, qualquer que seja o meio de locomoção, inclusive veículo de propriedade do segurado”

É bom ressaltar que para ser considerado acidente de trajeto o colaborador deverá estar no trajeto normal, isto é, o caminho percorrido para ir ao trabalho habitualmente, não precisa ser o mais curto mas se o empre­gado resol­ver alte­rar seu tra­jeto diá­rio por qual­quer motivo e sofrer um aci­dente, pode per­der os direi­tos pre­vis­tos em lei.

 

Direitos do colaborador e Obrigações da empresa

Os direi­tos do tra­ba­lha­dor que sofre um aci­dente de tra­jeto são equi­va­len­tes aos do tra­ba­lha­dor que sofre um aci­dente de tra­ba­lho, porém estes direi­tos se limi­tam ape­nas para fins pre­vi­den­ciá­rios. Isso sig­ni­fica que, ao con­trá­rio do aci­dente de tra­ba­lho, a empresa não é obri­gada a res­pon­der e se res­pon­sa­bi­li­zar pelo aci­dente de tra­jeto, já que não pos­sui con­trole sobre ele. A ocorrência também entra na contabilização das estatísticas de acidente de trabalho da empresa usadas para calcular a alíquota do Seguro de Acidente do Trabalho (SAT), contribuição calculada sobre a folha de salários. É obrigação da empresa de emitir a Comunicação de Acidente do Trabalho (CAT) à Previdência Social, de forma que seu empregado, em caso de afastamento, possa usufruir do benefício previdenciário de auxílio acidente.

 

Dicas para colaboradores

Alerte seus colaboradores sobre os riscos no trajeto com algumas dicas para evitar acidentes de trajeto:

 

  • Pedestres:

Faça a travessia sempre na faixa de pedestres, se não houver atravesse a via sempre em linha reta, nunca atravesse entre os carros em movimento;

Caminhe sempre pela calçada, se não houver ande sempre em fila única pela borda da pista;

 

  • Ciclistas:

Procure utilizar as vias específicas de trânsito para bicicletas

Não beba antes de guiar sua bicicleta;

Utilize equipamentos de segurança, à noite use roupas claras e iluminação;

Evite carregar que possa afetar o seu equilíbrio;

Respeite a sinalização. Lembre-se que você também faz parte do trânsito.

 

  • Motociclistas:

Utilize todos os equipamentos de proteção;

Evite costurar no trânsito;

Cuidado nas ultrapassagens. Sinalize com antecedência sua manobra e certifique-se de que você realmente foi visto pelo motorista a ser ultrapassado; Cuidado ao passar entre veículos. Principalmente ônibus e caminhões;

Ao pilotar à noite, use roupas claras e com materiais refletivos, se estiver em rodovia ligue o pisca alerta; Mantenha uma distância segura dos veículos à frente (cerca de cinco metros) principalmente em avenidas e rodovias;

Com a chuva redobre a atenção, reduza a velocidade e evite freadas bruscas; lembre-se de que nestas condições o tempo de frenagem é duas vezes maior que o normal.

 

  • Motoristas:

Utilize o cinto de segurança

Respeite os limites de velocidade;

Não utilize telefones celulares quando estiver dirigindo;

Respeite os semáforos;

Tenha cuidado ao ultrapassar, certifique-se que esteja sendo visto e que espaço suficiente para efetuar a ultrapassagem em segurança.

 

No trajeto seja cauteloso, o bom senso evita acidentes!

Sipat – Semana de Prevenção de Acidentes de Trabalho

SIPAT 

A SIPAT é uma iniciativa muito importante para a segurança dos funcionários e para o bom funcionamento do ambiente de trabalho, porque através das ações realizadas, que incluem por exemplo palestras, vídeos, e aulas é possível conscientizar a todos a prevenir acidentes e doenças ocupacionais.

Independente do tamanho da empresa, a realização de um evento como esse requer conhecimento e organização para que seja realmente efetivo e, pode se tornar complexo e consumir dedicação e tempo de um departamento, normalmente o Departamento Pessoal ou Recursos Humanos, sobrecarregando os colaboradores, podendo acarretar em atrasos nos processos corporativos regulares. Por esse motivo é interessante contar com uma empresa, especialista em segurança do trabalho, que possa oferecer uma solução apropriada.

A Play Cipa com mais de 20 anos na área segurança do trabalho, e uma grande experiência no mercado possui uma variedade de propostas e a disponibilidade em criar projetos adequados para cada necessidade, o que gera maior incentivo aos colaboradores em participar ativamente do evento.

Organizamos a estrutura de acordo com o interesse e reais necessidades da empresa. Por exemplo, para realização de palestras é importante a abordagem de  temas que são relevantes para sua empresa, assim como  realizar atividades que façam parte da rotina e realidade dos colaboradores Higiene Pessoal, Saúde Bucal, Medicina Preventiva, Depressão e Ansiedade, Gestão Financeira, Educação Alimentar, Segurança Urbana, Primeiros Socorros, Alcoolismo, Aids e DSTs, Ergonomia, Tabagismo.

O objetivo é fazer com que seus colabores estejam atentos, engajados e dispostos a mudar atitudes que possam causar acidentes de trabalho. Colaborador feliz e seguro é colaborador disposto a fazer o melhor.

Entre em contato e solicite um orçamento.

Dica: Sempre exponha algumas frases interessantes de conscientização sobre a segurança do trabalho.

Veja uma lista aqui:

  • O futuro só chegará se, no presente, a segurança você adotar.
  • Respeite a vida, trabalhe com segurança!
  • Segurança no Trabalho: cultive esta ideia!
  • Viva com segurança. Trabalhe com confiança.
  • Uma empresa com acidente zero. Só depende de você!
  • O momento de ter segurança é agora!
  • Prevenir acidentes é pensar no futuro.
  • Funcionários inteligentes previnem acidentes.
  • No trabalho de segurança, o ele mais importante é, sem dúvida, o trabalhador.
  • Não espero o acidente acontecer, faça a prevenção agora.

 

 

 

 

,

Fator Acidentário de Prevenção

Garantir a segurança dos seus colaboradores é sempre vital, e saiba que além de bom para o funcionamento da sua empresa, já que sem acidentes e sem faltas no quadro de colaboradores a produtividade é melhor, isso também é muito bom para as finanças da empresa. Essa é a lógica do Fator de Acidentário de Prevenção – FAP.

O FAP, que está em vigência desde 2010,  é um sistema bonus x malus, no qual a alíquota de contribuição de um, dois ou três por cento, destinada ao financiamento do benefício de aposentadoria especial ou daqueles concedidos em razão do grau de incidência de incapacidade laborativa decorrente dos riscos ambientais do trabalho, poderá ser reduzida, em até cinqüenta por cento, ou aumentada, em até cem por cento.
O cálculo é feito da seguinte maneira:  um multiplicador, que varia de 0,5 a 2 pontos, a ser aplicado às alíquotas de 1%, 2% ou 3% da tarifação coletiva por subclasse econômica, incidentes sobre a folha de salários das empresas para custear aposentadorias especiais e benefícios decorrentes de acidentes de trabalho. O cálculo do FAP ocorrerá anualmente.

As vantagens do FAP são para todos:

  • para todos os trabalhadores, com sua efetiva valorização, já que as empresas estarão mais preocupadas em aplicar as medidas de prevenção e com a melhoria da qualidade de vida que reflete inclusive fora do ambiente de trabalho. O trabalhador passará a ter maior confiança e segurança durante sua permanência no local de trabalho, com proteção de sua saúde.
  •  para a Previdência Social porque diminuirá no futuro os gastos com benefícios de natureza acidentária.
  • para os consumidores e a população em geral, pois teremos menos custos nos processos produtivos para o Brasil e conseqüentemente a produção com melhor qualidade.
  • para as empresas que vão poder atuar de forma mais tranqüila, pois o mecanismo de cálculo do FAP produzirá a competitividade sadia entre elas. Pagará mais quem deve e haverá redução tributária para quem faz o dever de casa da prevenção.
 Previna os acidentes na sua empresa, diminua os riscos, conscientize a todos sobre a importância da segurança no trabalho, os benefícios são para todos.

Dica: uma boa ferramenta para implantação e conscientização da segurança nos setores é a realização da SIPAT.